Antes de falar dos tipos de Yoga, faz-se preciso entender o que ele é, mesmo que de forma objetiva. O Yoga é a reunião de princípios físicos e mentais oriundos da Índia. Sua disciplina tem grande influência das filosofias do hinduísmo e do budismo. Ele procura a composição de uma conexão entre a mente e o corpo, a fim de gerar concentração, disposição e vitalidade.

Bhakti Yoga

Este Yoga tem como objetivo desenvolver a fé, por isso, também é conhecida como Yoga Devocional. Através da meditação, da oração e de práticas altruístas se pode reconhecer o divino em todas as formas e seres.

Jñana Yoga

Um dos métodos de Yoga mais difíceis de praticar é o Jñana Yoga, exigindo muita força de vontade e determinação. Seus caminhos são permeados de conhecimento, sabedoria, discernimento intelectual e investigação de sua própria natureza.

Raja Yoga

Voltar-se para dentro, voltar-se para si. O Raja Yoga traz esta disciplina mental que conversa com o mais profundo do seu eu. Isso porque entende o poder da liberdade e a habilidade que temos em guiar a nossa mente e sentimentos.

Yoga facial

A yoga é uma muito conhecida e buscada por quem deseja trabalhar corpo e mente simultaneamente. O que nem todo mundo sabe é que também existe a yoga facial, que pode ser feita em casa, por meio de alguns exercícios que trabalham a musculatura do rosto.

Yoga Nidra

Sua técnica é muito particular ao propor uma meditação profunda para a mente e o organismo. É uma forma de entrar em contato com o eu interior através de um estado de relaxamento intenso.

Laya Yoga

Você já ouviu falar na Laya Yoga? Trata-se de uma técnica oriental introduzida aqui no Brasil na década de 1960 pelo Mestre Caio Miranda, cujo principal objetivo é a sedação da emotividade e a cessação da atividade mental.

Yoga flow

A yoga flow, também conhecida como vinyasa yoga, foi originada a partir dos ensinamentos de Tirumalai Krishnamacharya, um dos mais influentes mestres da yoga no mundo e conhecido como o pai do yoga moderno.

Karma Yoga

Quem se interessa por yoga sabe que existem diversas linhas dessa prática, algumas clássicas e outras mais modernas. Apesar de todas terem algo em comum, existem algumas especificidades em relação ao foco de cada uma.

Siddha yoga

Pode-se entender o Siddha Yoga como um caminho de graça que leva a disciplina espiritual e ao domínio da mente e dos sentidos. Através de estudos e práticas são ensinados o verdadeiro modo de viver e como trabalhar o interior de sua própria consciência.

Yoga restaurativa

Os praticantes do Yoga Restaurativa procuram principalmente o relaxamento profundo, seja ele físico, emocional ou mental. Para isso, o praticante realiza pouco esforço e conta com o auxílio de ferramentas e materiais para alcançar este objetivo.

A doutrina segue o Sutras do Yoga, um texto essencial para a sua concepção. Neles, a afirmação é que se trata do “recolhimento das atividades da mente para que o indivíduo reconheça a sua natureza autêntica”. Esta definição concorda com a origem da palavra, que em sânscrito quer dizer “unir, integrar”. Ter o bem-estar do corpo e da mente associado a integração do ser.

O Yoga é mais do que uma religião, ou ciência, ou filosofia, ou atividade física, ela é tudo isso junto. Ele é um coletivo que age para o bem da pessoa que o pratica através da meditação, pranayamas e asanas. Seja a maneira como escolher praticar, se o resultado for viver bem e de maneira mais produtiva através de recursos internos, houve sucesso. O Yoga está em acreditar e explorar o que há dentro de cada um, encontrando autenticidade.

Historia e origem do Yoga

A origem do Yoga é um pouco difuso, afinal ele é a reunião de disciplinas e técnicas ancestrais. O mais comum está em se afirmar que ele nasceu a cerca de seis mil anos, junto com o surgimento da cultura indiana. Experimentações e filosofias foram combinadas uma com as outras até que surgissem um tronco do Yoga e seus principais tipos.

No início, a prática era realizada de maneira reservada, principalmente por homens e dentro das florestas. Por este motivo, ele acabou envolto de mistérios, por conta dos seus secretos de conhecimento e sabedoria. A discrição acerca do Yoga era tamanha, que o ensino dele a outrem era a partir da oralidade, do mestre ao discípulo. Séculos mais a frente é que surgiram obras que o contemplava como os Vedas, Upanishads, Bhagavad Gita e Sutras.

Os tipos de Yoga são patrimônios universais, uma dádiva partilhada por todos com respeito e generosidade. Suas técnicas são necessárias para toda a humanidade, sem distinção entre Oriente e Ocidente. A sabedoria e a dedicação dos indianos culminaram no maior conhecimento que as pessoas podem fazer sobre si.

Benefícios do Yoga

Independe do tipo de Yoga praticado, seus ganhos para o corpo e para a mente são extraordinários. Por aliar a concentração e o movimento, os benefícios proporcionam equilíbrio. Através do relaxamento pode facilitar uma noite de sono tranquila, pois ele estimula a produção de melatonina, o hormônio do sono. A concentração, através da meditação, traz sensação de paz e bem estar, logo também vantajosa contra a depressão.

Quanto ao corpo, ele atua no condicionamento físico, pois fortalece os músculos e aumenta a massa magra. Pela consciência corporal, as tensões musculares são melhores tratadas, diminuindo dores localizadas. O emagrecimento também pode ser um benefício, pois a ansiedade é controlada por meio da concentração. Os tipos de Yoga mais dinâmicos, como o Power Yoga e Ashtanga, que incrementam exercícios físicos, queimam calorias.

O controle da respiração faz com que o coração e o pulmão funcionem melhor. O Yoga equilibra a pressão arterial e os hormônios, colabora pela melhor circulação do sangue e acalma os batimentos cardíacos. Os exercícios promovem a inspiração e expiração controlada, ideal para quem tem problemas de bronquite e asma.

Os seis tipos milenares de Yoga

Sendo o objetivo do Yoga a conexão entre a mente e o corpo em favor do melhor conhecimento do eu, há alguns caminhos a se alcançar. As mídias fazem promoção de diversos tipos de Yoga, seguindo alguns objetivos, sendo os principais a concentração, relaxamento e melhor condicionamento físico. Contudo, do ramo milenar existem seis tipos de Yoga, conforme descrito cada um abaixo:

Hatha Yoga 

Mais comum no ocidente, este tipo de Yoga é o mais difundido nos estúdios e academias. Ele trabalha com um conjunto de asas, ou movimentos, que tem como objetivo o preparo do corpo para a meditação. Um dos seus benefícios é trazer a consciência corporal e o controle sobre as emoções e situações internas. 

As aulas são ministradas em ritmo lento, com longos espaços entre um movimento e outro. Muito voltada para a prática de respirações, os pranayamas, para encontrar o equilíbrio e o controle. A mente e a respiração colaboram para o alinhamento do corpo, seja em postura, como emocional.

Karma Yoga 

Ligação com o Divino, com Deus, este é o propósito deste tipo de Yoga. Quem o pratica está em busca do altruísmo, do desapego das ações e resultados, além de considerar tudo e todos como parte de Deus. Todas as atividades, sejam externas ou internas, são parte de um sacrifício ao Criador, merecedor de todas as energias da alma. O Karma Yoga é o mais voltado à solidariedade, a essência da vida e ao outro. 

Mantra Yoga 

Bem comum nas representações de Yoga pela mídia, os movimentos e as respirações são intercalados por mantras. Este tipo de Yoga procura o desenvolvimento pela vocalização de sons e ultra-sons, aproveitando os efeitos que os mantras produzem. Eles proporcionam a capacidade de interiorizar-se e estimulando, em contrapartida, a exteriorização do eu. 

Bhakti Yoga

O tipo de Yoga que pode ser considerado uma religião, ou parte de uma. A Bhakti Yoga é a busca integral e genuína por Deus, a sua intenção começa, continua e termina em amor. Ele vive um intenso amor por Deus. Uma devoção que propõe uma entrega total da pessoa, um estado permanente de adoração. 

Gyana (Jnana) Yoga

Através da inteligência e do discernimento, a pessoa que pratica este tipo de Yoga, procura alcançar a libertação espiritual. Gyana (Jnana) Yoga deve ser vivida completamente, e não praticada relativamente, por isso é conhecida por ser difícil de desenvolver. O encontro é com a sabedoria, para isso a pessoa precisa se dedicar para mais da filosofia, memorização de escrituras e vocalização de mantras. 

Raja Yoga

Bhagavan Krishna no Bhagavad Gita são os pais da Raja Yoga, porém formalmente sistematizado no século 2 a.C. por Patânjali, um sábio indiano. Este tipo de Yoga combina a essência de todos os outros caminhos. A procura é por um caminho régio ou mais elevado. Devido à relação entre a mente e o corpo, o corpo deve ser o primeiro controlado através da disciplina e para então encontrar a excelência da mente.

Certamente isso também lhe interessará:

 

Se você gostou, não esqueça de avaliar o artigo

Avaliação: 5/5 (1 votos)
Por favor, ajude-nos a compartilhar esta página em suas redes sociais para que possamos alcançar mais pessoas que precisam de nossa ajuda nesses temas. Você só precisa clicar em um dos botões abaixo. Obrigado!

Participa, deixe seu comentário